Para a terceira edição do Acelerador de Vídeo Digital no Brasil, o Facebook Journalism Project recebeu Bill Shepherd, editor de produção do The Guardian e The Observer, para discutir o papel do planejamento na produção de vídeo. Desenvolvidas em parceria com o Centro Internacional de Jornalistas (ICFJ), essas sessões oferecem aos produtores de notícias globais um roteiro claro e detalhado sobre como usar o Facebook para aprimorar os objetivos de negócios. 20 jornalistas participaram desta sessão realizada em 13 de maio em São Paulo, Brasil.

Shepherd, que também é membro da Associação de Profissionais de Câmeras de Televisão, cobriu os seguintes aspectos da produção de vídeos e sua importância no jornalismo:

“O jornalismo móvel exige um bom enquadramento, bom som e boa iluminação”, disse Shepherd. “E a pré-produção é tão importante quanto a produção. Não há nada pior do que filmar sem saber o que você precisa fazer.”

PLANEJAMENTO É ESSENCIAL

Antes de filmar, Shepherd incentiva os cinegrafistas a criarem uma lista inicial das filmagens que querem e imaginá-las. Também pode ser útil descrever completamente a história que querem contar no papel e compartilhá-la com os editores para que eles também possam entender como as tomadas se encaixam.

“Eu visualizo a história que gostaria de filmar, exatamente como eu quero”, Shepherd disse à plateia. “Eu desenho as imagens que quero fazer como um rascunho, e no final, você sabe exatamente o que gravar.”

Shepherd ofereceu as seguintes sete dicas para enquadrar vídeos e fotografias:

  1. Para sites, fotografe ou filme na horizontal. Para fotos, use formato paisagem 16 x 9.
  2. Para mídias sociais, grave no formato quadrado ou na vertical. Faça o upload em 1080p.
  3. Quando filmar com o seu smartphone na mão direita, mantenha o entrevistado no lado direito da tela (e vice-versa).
  4. Divida o quadro verticalmente e posicione o entrevistado em uma metade olhando para o espaço vazio da outra metade. Enquadre o entrevistado na parte superior ou na lateral da tela – isso ajuda com que uma imagem bidimensional pareça tridimensional.
  5. Segure o smartphone na mesma altura da linha do olho do entrevistado e enquadre os olhos da pessoa a um terço do topo.
  6. Use linhas principais para dar ênfase e criar senso de ação e lembre-se que as linhas verticais são mais poderosas que as horizontais.
  7. Ao gravar, trave o foco no smartphone (com a câmera estável, segure o dedo no foco por 2 segundos).

Quando se trata de formato de filme, também é crucial levar em conta as seis questões básicas de narrativa:

  1. Para filmar “quem:” Escolha um close-up
  2. Para filmar “o quê:” Escolha uma tomada acima do ombro.
  3. Para filmar “quando:” Escolha um big close-up
  4. Para filmar “onde:” Escolha a tomada aberta

  5. Para filmar “por quê:” Escolha uma passagem (o repórter fala diretamente para a câmera)
  6. Para filmar “como:” Escolha uma tomada média


“Assim que tivermos essas respostas, poderemos decidir o local para as filmagens”, acrescentou Shepherd.

ILUMINAÇÃO É TUDO

O enquadramento e a qualidade da tomada pouco importam se a audiência não puder ver a ação adequadamente. Como Shepherd reiterou: “Você deve sempre se perguntar ‘O que eu vou ver? … Lembre-se, isso é jornalismo visual”.

Para garantir que seu entrevistado tenha sido filmado com a iluminação adequada, considere estas seis etapas:

VOCÊ PODE ME OUVIR?

Antes de filmar, é fundamental considerar a duração da tomada. Quer o vídeo seja de 30 segundos, 90 segundos ou mais, o cinegrafista precisa levar em consideração possíveis interrupções de ruído antes de gravar.

“Você pode gravar em excesso ou trabalhar muito para o que precisa, então trabalhe com eficiência”, disse Shepherd. “Afinal, é o seu tempo. Quanto mais você planeja, melhor. Você tem mais espaço para ser criativo.”

Shepherd enfatizou as seis dicas a seguir para garantir que a qualidade do som permaneça perfeita (ou próxima a isso):

PERSONAGENS FORTES COMANDAM A SUA NARRATIVA

As melhores histórias são contadas por meio da própria experiência. Elas são informais, íntimas e provocam uma resposta emocional. No entanto, visuais encantadores e enquadramento atraente não são suficientes para criar uma grande história. Você também precisa de um personagem cativante.

“Eu conheço pessoas que têm histórias fantásticas, mas o personagem pode claramente articulá-la no vídeo?”, disse Shepherd. “Eu fiz histórias em que o personagem podia falar ao telefone, mas não no vídeo, então, tenha certeza que a pessoa pode realmente contar a história.”

HÁ UM JORNALISTA EM TODOS NÓS

No cenário de mudanças atual da mídia, qualquer um pode ser um produtor de notícias – e smartphones podem servir como câmera.

“Esses pequenos dispositivos funcionam muito bem”, disse Shepherd. “Isso para mim tem tudo a ver com velocidade, fazer a reportagem o mais rápido possível. Você precisa filmar, editar e publicar, e smartphones funcionam [para todas essas funções]. Eles são ideais para entrevistas rápidas, proporcionam gravações mais íntimas e permitem filmar onde quer que você esteja.”

 



Programa de Acelerador de Vídeo Digital do Facebook Journalism Project

Os programas do Acelerador de Vídeo Digital do Facebook Journalism Project foram desenvolvidos para ajudar veículos de comunicação a criar vídeos de alta qualidade e tornar seus modelos de negócio mais sustentáveis. Fundado e organizado pelo Facebook Journalism Project, em parceria com o The International Center for Journalists, o programa inclui workshops práticos liderados por especialistas da indústria de notícias e coaching de experts do setor. Confira todas as sessões do Video Accelerator aqui.